Terça-Feira, 02 de Junho de 2020
Notícias sobre Games e e-Sports



Circuito Desafiante: Santos é campeão do Circuitão e garante vaga para o CBLOL

Santos E-sports e Team One se enfrentaram neste sábado (16) em busca do título do Circuito Desafiante e a classificação…

Por André Ribeiro , em League of Legends , data: 18 de maio de 2020 Tags:, , , ,

santos-hotforex-esports

Santos E-sports e Team One se enfrentaram neste sábado (16) em busca do título do Circuito Desafiante e a classificação para o segundo split do CBLOL, que inicia no dia 6 de junho. O Santos foi superior e venceu o confronto, no formato melhor de 5, pelo placar de 3×0.

PRIMEIRO JOGO:

No draft da primeira partida, a equipe da Team One optou por uma composição com mais pressão de mapa, campeões que tem facilidade para empurrar waves de minions e fazer os objetivos, como Malzahar e Jayce. Enquanto o Santos confiou em uma composição de late game, campeões que escalam poder com o passar do tempo na partida, casos de Senna e Kassadin.

O início da partida foi bastante acelerado, os junglers se encontraram na rota inferior e o primeiro 3×3 aconteceu. Sarkis, atirador da equipe santista, conseguiu um first blood em cima do suporte inimigo. A Team One insistiu na jogada e ainda perdeu mais um jogador, mas conseguiu descontar uma eliminação sobre o Maokai do Hawk.

Após esse encontro inicial, a Team One conseguiu equilibrar as ações e seguiu realizando o que a composição pedia, ganharam espaço no mapa derrubando torres e garantindo os objetivos, como dragões e Arautos, ficando assim, à frente do Santos no confronto.

O ponto chave para a virada do Santos na partida foi a luta ao redor do terceiro dragão. Na contestação do objetivo, Camille e Kassadin pegaram duas eliminações cada, acelerando o crescimento desses campeões que tem como característica ficarem extremamente fortes com o passar do tempo. Além disso, o Trundle do Hyoga ainda conseguiu um abate e a equipe santista marcou um ace na jogada.

Com a vantagem em mãos, o Santos continuou com a estratégia de deixar o Kassadin do Rainbow crescer na partida. Enquanto a Team One tentava chegar à base inimiga e ganhar espaço no mapa. Até conseguiram, venceram uma luta e conseguiram derrubar o primeiro inibidor do jogo, na rota do meio.

Não foi o bastante, em uma chamada para o Barão da equipe santista, caíram 3 jogadores da Team One no confronto e, na vantagem numérica, o Santos conseguiu invadir a base e destruir o Nexus inimigo, abrindo a série em 1×0.

SEGUNDO JOGO:

O draft do segunda partida garantiu que o mid laner da Team One, Brucer, atuasse com o seu campeão característico, Corki, e a estratégia era toda voltada para o crescimento dele na partida, para que, com a ajuda do Jayce do Ryuzaki, pudessem causar dano de longa distância contra os campeões santistas. Já o Santos optou por dar vantagem ao Sarkis com seu Aphelios. Jogando ao lado de Lulu e Orianna, podia receber escudo dos dois campeões, o que o protegia por mais tempo nas lutas mais prolongadas.

O segundo confronto começou bastante equilibrado. A cada ação de uma equipe de um lado do mapa, o adversário respondia no outro lado. A Team One começou a ter a vantagem na partida após uma luta pelo dragão, onde conseguem três abates sobre a equipe do Santos e sofrem apenas um.

O Santos, por sua vez, com o passar do tempo, consegue logo correr atrás do prejuízo e executar a sua estratégia em volta do Aphelios. Numa outra luta por dragão, Rainbow consegue uma eficiente ultimate pra cima do jungler inimigo finalizando-o e dando espaço para que o time consiga mais duas eliminações, o dragão e toda a prioridade para o primeiro Barão do jogo.

Após isso, não teve muito o que a Team One fazer para conter a equipe santista. Com Jackpot e Sarkis inspirados, o alvinegro praiano invadiu a base com a ajuda do buff do Barão e finalizou a segunda partida, colocando toda a responsabilidade da final no colo da Team One para o próximo e decisivo confronto.

TERCEIRO JOGO:

No terceiro e decisivo confronto, o draft teve surpresas. A Team One, outra vez do lado azul, resolveu tirar o Trundle das mãos do Hyoga, que já havia feito duas partidas importantes com o campeão. Ryuzaki foi o encarregado de tomar conta da jungler com ele. Além disso, escolheram um campeão característico do mid laner inimigo, o Viktor. Já o Santos, tentou reverter essa situação apostando em ultimates globais. Hyoga escolheu Kartus para suprir a ausência do Trundle, enquanto Rainbow apostou em Pantheon, que já havia sido bem utilizado em suas mãos durante o Circuitão. Hawk escolheu um Nautilus para conter Senna e Maokai na bot lane. O campeão estava com 100% de aproveitamento durante os playoffs.

A terceira partida iniciou, assim como a segunda, com um equilíbrio total entre as equipes. O first blood do Jackpot na rota do topo foi logo respondida pelo PbO na rota inferior, e assim o jogo seguiu, com abates sendo respondidos com outros abates.

Mas, o equilíbrio foi só no início mesmo. A equipe da Team One resolveu vencer a partida, e pra isso, mostrou coragem para se jogar de cabeça nas lutas em equipe, saindo sempre na vantagem e fazendo o Santos temer a quarta partida.

Quando conseguiram um pick off pra cima do jungler do Santos, não pensaram duas vezes em executar o Barão e conseguir mais vantagem ainda na partida, sem chance de contestação para a equipe alvinegra.

Com a vantagem instaurada na partida, a equipe da Team One foi com muita cede para fechar a partida. O Santos, acuado, tentava de todas as formas se defender dos ataques à sua base. Os abates que o Kartus do Hyoga havia pegado durante a partida fizeram muita diferença no fim, pois, era ele quem comandava a defesa incessante da própria base.

Ao fim da partida, o Santos chegou a ficar apenas com o Nexus exposto, mas, ainda sim, conseguiam defender os ataques do adversário, deixando o jogo chegar a momentos dramáticos.

No que seria a última batalha deste confronto, o Santos conseguiu fazer o que ninguém esperava. Em volta do covil do Barão, eliminaram todos os jogadores da Team One e partiram para o Nexus inimigo. Enquanto isso, os minions da Team One acabavam com o Nexus santista. Rainbow e Jackpot voltam à base para limpar a onda e tentar parar o que seria a primeira vitória da Team One na série, enquanto isso, o resto da equipe marcha em direção à base inimiga.

No momento de maior aflição de todo o Circuito Desafiante, o inibidor da rota inferior santista ressurge e impede os minions da Team One de finalizar a partida, com isso, o Santos consegue a vitória e o título do Circuitão.