Siga nossas redes sociais

League of Legends

Legends of Runeterra: o novo grande game no universo de League of Legends

Publicado

em

No dia 24 de janeiro, a Riot Games deu início ao Open Beta do game Legends of Runeterra, um jogo de cartas baseado no poderoso universo de League of Legends. Obviamente, por conta da força de LoL, junto ao público, fica impossível não imaginar que o game surgiu para competir com grandes games do gênero, como Hearthstone e Magic Arena.

Mapa de Legends of Runeterra
Mapa de Legends of Runeterra

Enfim, ao entrar na fase Open Beta, o jogo pôde ser testado por todos os players. E, claro, eu dediquei alguns dias à aventura, a fim de poder vir até aqui para lhe falar um pouco sobre o game. Sendo assim, se você quiser conhecer um pouco mais sobre Legends of Runeterra, não deixe de conferir as informações que eu separei para você… vamos começar?

Legends of Runeterra: as primeiras impressões…

Como todos que acompanham as movimentações da Riot Games bem sabem, Legends of Runeterra é um dos primeiros jogos que fazem parte de uma estratégia que visa expandir o universo de League of Legends.

Por conta disso, o game conta com muitos elementos conhecidos pelos players de LoL, mas também apresenta algumas singularidades interessantes. Por exemplo: basta jogar algumas partidas para perceber que existem personagens inéditos nessa aventura.

Aliás, muitos players começaram a pontuar que esses personagens podem vir a se tornar os novos campeões de League of Legends. Se isso for verdade, Legends of Runeterra, ou LoR (como muitos já estão chamando o game), acabará sendo um grande ambiente de pesquisas da Riot. A empresa poderá coletar muitos feedbacks e usá-los para melhorar LoL ainda mais.

De todo modo, essas “singularidades” não são os únicos destaques do game. Logo no início, encontramos uma interface bem simples e intuitiva. Qualquer player pode encontrar facilmente aquilo que procura.

Ademais, o tutorial inicial cumpre a missão de nos explicar sobre as mecânicas do jogo de uma forma impecável. E sim, todas as cartas são autoexplicativas. Basta passar o mouse sobre elas para saber sobre os efeitos e detalhes adicionais.

Resumindo, as primeira impressões em relação ao game indicam uma interface amigável e uma grande preocupação em garantir que todos os iniciantes sejam bem acolhidos. Belo trabalho da Riot!

E o gameplay?

Em termos de mecânicas de jogo, as semelhanças com Hearthstone saltam aos olhos. Contudo, Legends of Runeterra apresenta um curioso sistema de turnos ofensivos. Nesse sistema, os players podem atacar “turno sim, turno não”. E isso acaba criando uma dinâmica um tanto quanto diferenciada.

Outro detalhe importante é a presença de um sistema muitos semelhante ao sistema de Mana do jogo Hearthstone. Com a Mana acumulada, os players podem trabalhar para atender aos requisitos necessários para fazer os campeões atingirem suas formas evoluídas. Esse aspecto remete ao subestimado Digital Card Battle (um jogo TCG baseado no anime Digimon, que foi lançado para o PS1 no ano 2000).

No que diz respeito aos baralhos, temos grupos de 40 cartas. Logicamente, como o game ainda está em uma fase beta, a variedade de cartas não é tão grande assim. E mais, há baralhos variados, que acabam alterando consideravelmente a forma como o player executa suas estratégias.

Apesar dos destaques citados, o Beta de Legends of Runeterra me chamou a atenção (negativamente) por oferecer um conteúdo bem limitado. Assim, após algumas partidas, o player fica sem ter o que fazer, e o jogo acaba ficando um pouco monótono. Certamente, a Riot pretende adicionar mais conteúdo ao longo do tempo, mas esse detalhe foi marcante.

De qualquer forma, é bom ressaltar que o gameplay é muito dinâmico e promete garantir competições muito interessantes e dignas dos maiores torneios do mundo dos eSports.

Os aspectos técnicos de Legends of Runeterra…

Observando questões como o visual da aventura e os efeitos sonoros, podemos ter uma noção clara de que a Riot Games está com planos audaciosos para o game. Se fosse o contrário, as construções não seriam tão refinadas.

Em um primeiro momento, posso dizer que o aspecto visual é impecável. As ilustrações são belíssimas e as animações foram muito bem feitas. Detalhe: tudo parece ter sido feito para o jogo, ou seja, não percebi o reaproveitamento de “assets” de League of Legends.

No que tange aos efeitos sonoros, o game também apresenta um alto nível de qualidade. Além do mais, algumas cartas contam com uma dublagem que consegue mostrar um pouco da personalidade de cada campeão. E não, embora seja possível ajustar o game para a língua portuguesa, as dublagens ainda não estão disponíveis em nosso idioma.

Legends of Runeterra: um ótimo game, até mesmo para quem não é fã de LoL

Para encerrar, ressalto que Legends of Runeterra me causou uma excelente primeira impressão. Apesar de apresentar pouco conteúdo, o jogo possui belas mecânicas e não deixa a desejar em nada, quando comparado com outros games famosos do gênero TCG.

Os aspectos técnicos de LoR foram muito bem trabalhados e suas mecânicas garantem partidas tão dinâmicas quanto competitivas. O game possui um ar estratégico bem refinado e realmente consegue manter os players envolvidos.

E o interessante é que, mesmo pertencendo ao universo de LoL, o game tem construções tão sólidas que não é necessário conhecer League of Legends para aproveitar a aventura. Legends of Runeterra é um TCG de respeito. Vale a pena conferir! Até mais…

Saudações! Sou Yohan Bravo, tenho 29 anos e sou Ghostwriter por escolha. Escrevo sobre o que amo: games, animes e mais uma série de coisas. Vez ou outra, escrevo sobre os meus devaneios e crio letras de músicas jamais cantadas.

Trending

X