Siga nossas redes sociais

CS:GO

Em jogo acirrado, MIBR é derrotado pela EG na final da Blast Premier Spring

Publicado

em

Made in Brazil e Evil Geniuses enfrentaram-se nesse domingo (21), pela final da Blast Premier Spring 2020. O resultado não foi favorável aos brasileiros, que lutaram até o final, mas não puderam evitar a derrota por 2×0 na MD3.

O JOGO FINAL DA BLAST PREMIER SPRING:

No mapa da escolha da MIBR, a Dust2, quem começou mandando no jogo foi a EG, que soube neutralizar as jogadas ofensivas dos brasileiros e abrir uma vantagem de sete pontos, fazendo 9×2 no placar. No fim da primeira metade, a equipe do MIBR acertou as entradas nos bombs e conseguiu diminuir um pouco o prejuízo, fazendo quatro pontos antes da virada de lados, que terminou 9×6 para os americanos.

Na segunda metade, agora do lado terrorista, a EG chegou ao match point sem deixar o MIBR marcar sequer um ponto após a virada de lados. Cvetelin “CeRq” e Vincent “Brehze” comandavam a vitória da organização americana com ótimas atuações, principalmente quando jogavam juntos no bomb A.

Blast Premier Spring

Blast Premier Spring

Porém, o MIBR “acordou” após o match point adversário, e encostou no placar, chegando a 14 pontos. Mas, num round em que tudo deu errado, num avanço de Epitácio “TACO” e Gabriel “FalleN”, que foram punidos, a EG achou a oportunidade que precisava e fechou o primeiro mapa em 16×14.

Já na Inferno, escolha da EG, o jogo foi equilibrado desde o início. As equipes trocaram rounds até o 5×5, quando os americanos finalmente engataram uma sequência de rounds e venceram a primeira etapa por 9×6.

Na segunda metade o equilíbrio voltou, e as equipes seguiram trocando rounds com a pontuação bastante próxima. Epitácio “TACO” e Vito “Kng” eram quem mais matavam pelo lado do MIBR, enquanto “Tarik” Celik e Cvetelin “CeRq” devolviam para o lado da EG. O equilíbrio foi tanto que o jogo acabou em 15×15 e precisou ser resolvido na prorrogação.

No over time, quem se deu melhor foi a EG. Que fez seus três pontos de CT e um de TR, fechando a partida em 19×15 e levantando a taça do campeonato.

PREMIAÇÕES

Com a vitória, a Evil Geniuses garantiu US$ 160 mil e a vaga para a final da Blast Premier Global. Já o MIBR levou US$ 65 mil.

Continuar lendo

CS:GO

Evil Geniuses vence Gen.G e conquista o título da cs_summit6 North America

A Evil Geniuses, comandada pelo brasileiro Wilton “zews” Prado, venceu a Gen.G na final da cs_summit6, nesse domingo (5) e sagrou-se campeã da competição.

Publicado

em

cs_summit

A Evil Geniuses, comandada pelo brasileiro Wilton “zews” Prado, venceu a equipe da Gen.G na grande final da cs_summit6 North America, nesse domingo (5) e sagrou-se campeã da competição. Com o título, os americanos faturaram a quantia de US$ 22.000, além de 2000 pontos no “Regional Major Rankings”. Já a Gen.G, levou para casa US$ 16.000 e 1875 RMR points.

Vale lembrar que duas equipes brasileiras participaram deste torneio, MIBR e FURIA. Os dois foram eliminados durante a fase de grupos, mas em situações distintas. O MIBR, com dois jogos e duas derrotas ficou com 7-8º na tabela de classificação. A FURIA, por outro lado, fez três jogos, com uma vitória e duas derrotas na fase de grupos. Na decisão do 5º lugar, derrota diante à Cloud9 e 6º lugar assegurado.

O jogo

A Evil Geniuses iniciou o confronto MD5, com um mapa de vantagem sobre o adversário, por ter chego à final por meio da chave dos vencedores.

O primeiro mapa disputado foi Train, escolha da Gen.G, em que a EG optou por começar do lado contraterrorista.

Os terroristas começaram na frente, vencendo o round pistol e os dois seguintes. Porém, a EG logo tratou de confirmar o favoritismo do lado CT na Train, tomando conta da partida. Com importante atuação da dupla Cvetelin “CeRq” e Vincent “Brehze”, a equipe comandada por “zews” fechou a primeira metade em 11×4.

O segundo half continuou sendo de completo domínio da EG, e a equipe não teve problemas para encaixar os cinco pontos que faltavam para a vitória no mapa, inclusive sem deixar que a Gen.G pontuasse na segunda metade. “CeRq” com 26 abates e 9 mortes, além de “Brehze” com 20 eliminações e apenas 8 mortes, foram os destaques da EG no mapa da Train.

O mapa Inferno foi o decisivo do confronto. Diferente da Train, o embate foi muito mais equilibrado em certas ocasiões.

A EG teve o domínio completo da primeira metade jogando do lado terrorista. Encaixaram nove rounds até que o adversário fizesse seu primeiro, deixando o título cada vez mais próximo. Com “Brehze” inspirado também no segundo mapa, a EG fechou a primeira metade outra vez num 11×4, com o player sendo o destaque, carregando consigo 21 abates e apenas 6 mortes, números impressionantes se comparados com Kenneth “koosta”, jogador da Gen.G que teve 15 mortes na primeira parte, ou seja, em todos os rounds.

No segundo half, a equipe da Gen.G encaixou um lado terrorista bastante eficaz e voltou para a partida, encostando no placar e equilibrando o confronto. Timothy “autimatic” puxou a responsabilidade para si e foi peça importante para a recuperação da Geng.G no jogo.

No lado terrorista, a Gen.G chegou a empatar a partida em 14×14, fazendo com que o jogo fosse resolvido nos seus mínimos detalhes.

Mas, num round em que a estratégia de entrada dos terroristas no Bombsite A não funcionou, “CeRq” fez duas eliminações cruciais e levou a sua equipe para o match point, onde “Tarik” e “Ethan” fecharam a passagem do corredor do Bomb B, garantindo o 16º ponto e o título da cs_summit6 North America para a EG pelo placar de 3×0.

“Brehze” e “Ethan”, destaques no confronto da Inferno, somaram juntos 54 eliminações no mapa. Na soma dos dois mapas, “Brehze” somou 49 abates, sendo fator importante para a vitória da Evil Geniuses.

Continuar lendo

CS:GO

CS:GO – Valve apresenta novas medidas anti-cheat

Publicado

em

Um dos grandes problemas dos jogos online são o cheaters. Esses “players” trapaceiros atentam contra o “fair play” e conseguem prejudicar a experiência dos players honestos de uma forma considerável. Não à toa, as grandes desenvolvedoras estão sempre idealizando novas formas de combatê-los.

Nesse caso, resolvi criar esta notícia para dar destaque a uma nova série de ações anti-cheat lançada pela Valve, para o lendário CS:GO. Por ora, o sistema está em beta, mas não vai demorar muito até que seja implementado… vamos entender essa história?

Novo Beta “Anti-Cheat” para CS:GO

CS:GO

CS:GO

Como eu destaquei, a Valve continua lutando contra os cheaters, no game CS:GO. A nova ação da empresa foi a liberação de um Teste Beta, cuja intenção é avaliar a aplicação de um novo sistema anti-cheat.

De acordo com as informações, esse sistema “restringe significativamente os tipos de programas e arquivos que podem interagir com o game”. Em outras palavras, quando o player estiver jogando CS:GO e fazendo uso de outros programas, o sistema anti-cheat irá bloquear a execução de arquivos suspeitos.

Além disso, se o sistema anti-cheat estiver em execução, os players serão notificados sobre a utilização de programas suspeitos e receberão um alerta sobre a possibilidade de banimento, caso insistam em ignorar o alerta.

Como o sistema é bastante “agressivo”, é possível que a utilização de programas legítimos acabe sendo prejudicada. Aliás, é por isso que a Valve resolveu lançar uma fase Beta, ou seja, a intenção é encontrar um equilíbrio entre a melhor segurança e a melhor experiência durante o gameplay.

De todo modo, se você quiser participar do Beta, bastará ir até uma página da Steam que que foi criada para explicar como o procedimento de optar pelo Beta poderá ser feito.

Resumindo, essa é mais uma ação da Valve para tentar frear os cheaters e garantir uma experiência melhor para os “verdadeiros players”. Temos que torcer para que o feedback coletado na fase Beta seja bom o suficiente para garantir melhorias consideráveis, quando o sistema for realmente implementado. Até a próxima…

Continuar lendo

CS:GO

FURIA perde para Team Liquid e não segue para as semifinais da cs_summit6 North America

Publicado

em

furia-team-liquid

A equipe da FURIA enfrentou a Team Liquid em partida classificatória para as semifinais da cs_summit6 North America nesse domingo (28). Os brasileiros saíram derrotados por 2×0 no confronto MD3 (16×8 na Vertigo e 16×10 na Nuke).

Foi uma quebra de tabu por parte dos americanos, que já haviam perdido seis partidas para os brasileiros durante o ano de 2020, incluindo a final da Dreamhack Masters North America.

MAPA VERTIGO: FURIA 8 X 16 TEAM LIQUID

A FURIA iniciou o seu mapa de escolha do lado contraterrista. O confronto começou de forma equilibrada. A Team Liquid venceu o round pistol, com quatro abates de Keith “NAF”, além do sequinte. Já a FURIA respondeu logo empatando a partida, com Vinicius “Vini” e Yuri “yuurih” segurando a entrada no bombsite B.

Mas, após o início equilibrado, a Liquid passou a mandar no jogo. Sem deixar a FURIA pontuar ou fazer economia, os americanos fizeram 11 pontos do lado terrorista do mapa, com destaque em “NAF” que fez 20 abates e morreu apenas seis vezes durante o half. A FURIA fez quatro pontos, e Andrei “Art” pegou 12 eliminações.

A FURIA iniciou a segunda metade vencendo o pistol com um clutch do “Kaike “Kscerato”. Além disso, venceram mais três rounds durante o segundo half, mas, a Liquid logo encaixou seu jogo no lado contraterrorista e dominou outra vez o confronto.

No match point da Team Liquid,    Jake “Stewie2k” fez três eliminações e garantiu o primeiro mapa para a equipe norte americana. “NAF” terminou a partida com 27 abates. Seu companheiro, Jonathan “EliGE” fez 25. Já “Art” continuou sendo o que mais matou nos brasileiros, com 21 eliminações.

MAPA NUKE: FURIA 10 X 16 TEAM LIQUID

No mapa de escolha da Team Liquid, quem começou vencendo o pistol foi a equipe brasileira. Jogando do lado contraterrorista, a FURIA venceu o primeiro, mas perdeu o forçado, deixando a economia castigada logo no início.

Aproveitando-se disso, a Liquid tratou de ficar sempre à frente do placar. Como estatisticamente o lado contraterrorista é mais forte na Nuke, os americanos acumulavam pontos importantes como terrorista.

A FURIA tentava fazer o máximo de pontos no half, para buscar a volta por cima na segunda etapa. Conseguiram cinco, enquanto os americanos colocaram 10 no placar.

No pistol da segunda metade, a defesa da Liquid fez um atropelo no bombsite já dominado pela FURIA e garantiu o 11º ponto da equipe. Os brasileiros devolveram no forçado e em dois econômicos, encostando no placar e criando esperança na partida.

Mas, quando a Liquid teve os recursos, conseguiu impor o seu jogo e dominar outra vez a partida. A FURIA até garantiu mais dois rounds, mas os Russel “Twistzz” e companhia trataram de fechar a partida em 16×10, acabando com as chances da FURIA no campeonato.

O destaque ficou por conta de “Twistzz” que terminou com 23 abates e 16 mortes. Já pelo lado da FURIA, “Vini” foi o responsável por pegar 21 eliminações e sofrer 19.

Próximos Compromissos

Com a vitória, a Team Liquid volta a jogar na terça-feira (30) contra a 100Thieves pela rodada de abertura das semifinais.

Já a FURIA ainda volta a jogar em busca do 5º lugar na competição. Na quinta-feira (2), enfrenta a Cloud9 em busca do prêmio de US$ 6.500 e os 1500 pontos de classificação para o Major.

Continuar lendo

Trending