Domingo, 23 de Fevereiro de 2020
Notícias sobre Games e e-Sports



Psicólogo indica Breath of the Wild para superar vício em Fortnite

Não é de hoje que o game Fortnite tem sido citado como uma das opções mais viciantes do mundo dos…

Por Yohan Bravo , em Fortnite , data: 10 de fevereiro de 2020 Tags:, ,

Não é de hoje que o game Fortnite tem sido citado como uma das opções mais viciantes do mundo dos games. Em diversos países, o jogo foi apontado como o maior responsável por alguns divórcios e como a causa para muitas patologias próprias de pessoas viciadas. Neste post, vamos entender um pouco mais sobre uma possível solução do vício em Fortnite.

Sim, o assunto do vício em jogos vem sendo debatido com força em muitos países, desde que a OMS (Organização Mundial de Saúde) oficializou esse vício como uma doença.

Bem, como uma doença, o vício em jogos deve ser tratado. No entanto, parece que um psicólogo (conhecido por atuar no mundo dos games) alegou que o vício em Fortnite pode ser combatido com outro game: The Legend of Zelda: Breath of the Wild… vamos entender essa história?

O vício em Fortnite…

Fortnite foi lançado em 2017 e rapidamente se tornou um fenômeno mundial, elevando a Epic Games (sua desenvolvedora) ao patamar de outras gigantes da indústria.

O jogo foi um dos grandes impulsionadores do gênero Battle Royale, que se tornou uma das grandes modas dos últimos tempos, e ainda foi o responsável por fazer muitos streamers se transformarem em verdadeiras celebridades (e muitos ficaram milionários).

Entretanto, todo esse sucesso acabou gerando consequências negativas. O game passou a ser uma verdadeira dor de cabeça para pais e responsáveis, que não conseguiram conter os comportamentos dos filhos.

Sim, o jogo se tornou um vício para muitas pessoas. Tempo de jogo excessivo, desperdício de dinheiro em skins e outros itens cosméticos, falta de interação social… enfim, esses foram alguns dos muitos problemas registrados.

Além disso, para você ter uma ideia, alguns rumores chegaram a pontuar que certas celebridades também ficaram viciadas no game. Como por exemplo, posso citar o futebolista Mesut Özil, que foi acusado de ter prejudicado seu desempenho em campo, por ficar jogando Fortnite por mais tempo do que deveria.

Resumindo, querendo ou não, a Epic Games acabou criando um “grande monstro”. Felizmente, para os “viciados no game”, parece que a solução não exige que a jogatina pare…

A cura para o vício em Fortnite é outro game…

Segundo relatos do psicólogo e psicanalista Michaël Stora, a cura para o vício em Fortnite é o jogo The Legend of Zelda: Breath of the Wild. Stora afirma que o jogo da Nintendo é o antídoto perfeito contra o vício, pois sua natureza e suas mecânicas são muito diferentes do jogo da Epic e ajudam a “esquecer da jogatina desenfreada”.

Michaël Stora é cofundador da OMNSH (Observatory of Digital Worlds in Human Sciences) e atua como consultor de grandes empresas da indústria dos games, como a SEGA, a Ubisoft, a Electronic Arts, a Activision e a Microsoft.

Em sua teoria, Stora explica que Fortnite é muito dinâmico e sua ação rápida, bem como a velocidade com a qual a Epic Games gera novidades, acabam fazendo o jogo ficar mais viciante.

Já The Legend of Zelda: Breath of the Wild possui um ritmo mais calmo e cenários que acabam fazendo o jogador relaxar, contemplar, apreciar e ditar a forma como ele avança no game.

E o psicólogo vai ainda mais longe, ao afirmar que os próprios personagens de Breath of the Wild podem agir como terapeutas. Sendo assim, os personagens e sua interação com a história geram uma “magia de mediação terapêutica”.

Aliás, o profissional de saúde afirma que há games que podem ter um efeito positivo nas saúdes mentais das pessoas. Por consequência, ele acaba fomentando a discussão ainda mais…

Não consegue parar de jogar Fortnite? Vale a pena tentar a “nova solução”

Antes de fechar o post, cabe destacar que The Legend of Zelda: Breath of the Wild foi lançado em 2017, para o Nintendo Switch, e “abocanhou” uma grande quantidade de prêmios, inclusive foi nomeado como o GOTY do referido ano.

Isso quer dizer que a solução proposta pelo senhor Stora ainda pode ser extremamente agradável, uma vez que uma pessoa viciada em Fortnite poderá continuar jogando e se dedicando a um game de grande qualidade.

Enfim, se você não tem conseguido parar de jogar Fortnite ou conhece alguém que esteja sofrendo com esse descontrole, The Legend of Zelda: Breath of the Wild pode ser a alternativa perfeita, segundo um gabaritado profissional da área da saúde mental. Até mais!

Compartilhe isso...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email